domingo, 30 de junho de 2013



Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, enquanto o regime nazista enviava milhares de prisioneiros aos fornos de Auschwitz, o industrial alemão Oskar Schindler abrigava centenas de judeus em sua fábrica, de onde ele os transferia em segurança para a Tchecoslováquia. Um lugar na lista de Schindler significava a única chance de sobrevivência para um prisioneiro judeu. Oskar Schindler é retradado de modo inédito e comovente pelo romancista Thomas Keneally, que passou dois anos entrevistando sobreviventes beneficiados pela lista em sete países. Austrália, Israel, Alemanha Ocidental, Áustria, Estados Unidos, Argentina e Brasil. Escrito com paixão, mas também com absoluta fidelidade aos fatos, o autor realizou uma espantosa recriação de um episódio histórico, narrado com toda ênfase de uma ficção.


Resenha:
Sabe aquele livro que você termina de ler é ele fica gritando em sua mente enquanto você não fala/resenha sobre ele? Pois é, isso me aconteceu com este livro.

O personagem central é o alemão amado por todos os judeus e odiado por muitos alemães que achavam esse cuidado excessivo de Schindler uma doença. No inicio do livro, conhecemos um Schindler jovem é boêmio, que participava de competições com a sua motocicleta. Porém, sua carreira não durou muito devido a alguns contratempos.

Devo admitir que a minha ideia de Oskar Schindler fosse bem diferente da verdadeira imagem que descobri quando li o livro. As pessoas que me falaram de Schindler, fizeram com que eu tive-se essa imagem de um humano perfeito. Porém, Tio Schindler tinha muitos erros. O primeiro dele é que Schindler era infiel no quesito matrimonio. Sua esposa Emilie (Coadjuvante no inicio) conhecia a infidelidade do seu marido. Segundo, Schindler não sabia como sobreviver em uma vida que tive-se uma rotina definida, o que colocava em risco todos os seus planos e projetos se não tive-se alguém responsável para tomar conta.

Em meio a noites de festas banhadas a álcool e a jantares com oficiais da SS, Schindler toma sua primeira iniciativa como adulto responsável à compra de uma fábrica de esmaltados que recebeu o nome de Emalia. Todos os seus operários eram Judeus que viviam em Cracóvia (Onde estava localizada a empresa de Schindler) e todos os dias recebiam o Herr Direktor durante o turno de trabalho. A pacífica rotina dos Judeus sofre alteração quando criada o primeiro gueto e a necessidade do visto de trabalhador pra poder ter assegurados o direito de entrar e sair.
Ao mesmo tempo em que a fortuna de Schindler crescia, era criado um campo de concentração em Cracóvia ao poder do Hauptsturmführer (Capitão) da SS Amon Goeth, admirador de boa música do mesmo modo que amava um assassinato sem nenhum motivo aparente. Durante a primeira Aktion (ação de desocupação do gueto), todos os empregados de Oskar foram levados ao campo de concentração onde tinham suas vidas ameaçadas diariamente por Amon.

Schindler teve a iniciativa de criar um subcampo no terreno de sua indústria, com a desculpa de que seus funcionários experientes e treinados teriam melhor proveito se ficassem mais tempo no lugar de trabalho. Com o projeto aprovado Schindler teve que arcar com todas as despesas (por sinal bem caro). Muitas coisas acontecem nesse tempo em que Schindler toma conta do seu subcampo e o período de termino da guerra.

Para manter seus funcionários, Schindler vivia de transações no mercado negro, suborno de agentes da SS e favores de amigos influentes. Essas atividades faziam seu dinheiro desparecer rapidamente e sua empresa não conseguia repor de forma eficiente. A lista que leva o nome do Herr Direktor demora pra aparecer, mas em compensação tem um significado que da uma reviravolta na historia. Fiquei feliz quando o autor já no final do livro mostra uma Emilie Schindler não coadjuvante, mas uma mulher forte e determinada.

Terminei o livro com a sensação de vazio (kkkk’s), parece impossível, mas esse foi o sentimento. Fiquei triste com muitas partes, assustado com outra e até revoltado. A imagem do Oskar Schindler que eu tinha não chega nem perto do que eu tenho agora, prefiro esse que eu criei ao terminar o livro, porque sei que mesmo com os erros que ele sempre cometeu, sua principal preocupação eram os Schindlerjuden.

Espero profundamente que todos que conseguiram ler até o final a minha resenha procurem ler essa incrível obra feita não por Thomas Keneally, mas por Schindler e todos os judeus que foram ajudados por ele. Ainda tenho muito pra falar, mesmo que não saiba como dizer.
Porem deixo no final da resenha, assim como em uma parte do livro três minutos de silêncio pros personagens que fizeram a historia do livro ajudando, existindo ou burlando o sistema:

“Oskar e Emilie Schindler, Poldek e Mila Pfefferberg, Helen Hirsch, A Otimista Lusia, Richard e Anka Rechen, Regina e Niusia Horowitz, Josef e Rebecca Bau, etc...”

12 comentários:

  1. Que fofo seu blog Isaias haha *--*
    Eu gosto desses livros que tem uma temática relacionada a segunda guerra, gosto de ficar "por dentro" das coisas que aconteceram na época e como aconteciam, acho interessante.
    Adorei a sua resenha sobre o livro, despertou minha curiosidade hihi

    Beijos! http://meuvicioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Isaias.
    Muito obrigada por seguir meu blog. :)
    Fico feliz que tenha gostado viu!
    Estou seguindo seu também, adorei o conteúdo, é muito legal viu.
    Sobre sua resenha, eu já tinha visto o livro antes, mas nunca tinha me interessado. Agora depois de ler a resenha fiquei bem curiosa. Eu gosto de livros que agitam nossa cabeça mesmo depois de ter terminado de ler.
    Ah, tu é de Recife né? Legal, eu sou de Joao Pessoa, é ótimos encontrar blogueiros aqui perto da minha cidade.

    Beijo

    http://elaeseuslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo contato via Skoob, adoro conhecer blog novo, to seguindo com certeza, o blog ficou show de bola, Parabens Isaias.
    Haaa muito boa a resenha.
    beijinhus

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Nossa se falou tão bem que fiquei com vontade de ler.
    Bjs!!
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie!

    Primeira vez aqui no seu blog, adorei. Vou vir mais vezes aqui.

    beijinhos*
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já viu o filme?
    É simplesmente "Fantástico" não há escorregões no roteiro...
    A imagem em preto e branco, meio cinzenta é incrível!!!
    O livro já esta na minha listinha modesta de leitura...
    Bjoss!!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem ?
    Vi que vc deixou uma mensagem no meu skoob
    e passei aqui para conhecer o seu cantinho.
    Gostei muito de suas postagens e queria dizer que já estou te seguindo.
    E de puder me siga também e curta minha fanpage, pois visitinhas minhas é que não vão faltar por aqui.
    Sempre que comentam em meu blog eu retribuo com o maior prazer do mundo, até porque gosto de conhecer pessoas
    novas.

    Espero poder contar com sua presença e que retribua
    me seguindo e curtindo
    bjos e fica com Deus =D

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. oiii... adoro esse livro! Li a pouco tempo e gostei mto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, quero muito ler esse livro, só falta tempo, rsrs
    gostei da resenha!

    http://refugiodarealidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Fiquei curiosa pra ler *-*
    Sua resenha tá muito boa!

    Beijos
    literaturizei.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Isaias! Eu não tive a oportunidade de ler o livro, mas assisti ao filme e assim como você, terminei de ouvir a história de Schindler e só consegui pensar nisso! Agora quero ler <3
    Beijocas, Ni

    ResponderExcluir
  12. Está aí um livro que preciso ter e ler. É o tipo de leitura que gosto, fora que é uma parte da História que não deve nunca ser esquecida. Ótima postagem, um abraço!
    http://duasepocas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir